Blog do Roberto Silva


ENTREVISTA

JUCA, DO LA CORUÑA DA ESPANHA

Quem bateu um papo conosco foi o meio-campo Juca, recentemente contratado pelo La Coruña, da Espanha. Nas duas últimas temporadas Juca jogou pelo Partizan da Sérvia, tornando-se grande ídolo do clube mais popular do país e conquistando quatro títulos (dois campeonatos nacionais e duas copas da Sérvia). Sobrinho do técnico Carpeggiani, Juca está curtindo férias no Brasil ao lado dos filhos e se apresenta na primeira quinzena de julho ao La Coruña, da Espanha.

FICHA DO JOGADOR

Nome: Juliano Roberto Antonello

Posição: Meio-campo

Idade: 29 anos

Naturalidade: Passo Fundo-RS

Clubes: Internacional-RS, Criciúma-SC, Marília-SP, Fluminense-RJ, Guarani-SP, Botafogo-RJ, Partizan-Sérvia e La Coruña-Espanha

 

BRS- O que representou na sua vida essa passagem pelo Partizan?
Juca- Foram dois anos maravilhosos, não só profissionalmente, mas pessoalmente também. Foram momentos excelentes que me fizeram crescer como jogador de futebol e como pessoa. Só tenho a agradecer pelo que vivi na Sérvia e por ter sido tão feliz.

 

 

 


Medalha recebida por Juca na despedida do Partizan, O n° da camisa representa o n° de jogos pelo clube

 

BRS- Você teve uma fratura no braço em um treino antes de um jogo importante do Partizan contra o Estrela Vermelha. O que o motivou a pedir para jogar aquela partida?
Juca- Acredito que tenha sido o momento. Era um clássico e lá o país todo se mobiliza para este jogo. Todo jogador quer jogar e logo na semana do clássico vou quebrar o braço e ficar fora? Não tinha como. Fizemos uma proteção e na hora do jogo o árbitro mandou tirar, mas graças a Deus deu tudo certo e consegui jogar. Poderia ter sido uma irresponsabilidade mas acho que tomei a decisão acertada naquele momento.

 

 

BRS- E você ainda fez um gol neste jogo?
Juca- Empatamos em 1x1 e ainda tive a felicidade de marcar o gol da minha equipe. Foi um jogo inesquecível na minha carreira.

Veja este gol de Juca:

 

BRS- Falando em gols, você marcou muitos gols pelo Partizan, fato que não acontecia com tanta frequência nos tempos de Brasil. Mudou alguma coisa em termos de posicionamento em relação ao futebol que você jogava no Brasil?
Juca- Não. Nós tínhamos uma equipe bastante ofensiva e isso me possibilitava as chances de encostar no ataque e fazer os gols. Não foram tantos, mas de fato, mais do que fazia no Brasil e o importante é que consegui ajudar a equipe a ter sucesso nesses dois anos.

 

BRS- Tratando de Seleção Brasileira, que é o sonho de qualquer jogador profissional: Ainda é uma motivação ou já é página virada na sua vida?
Juca- Em relação a isso sou bastante esclarecido e realista. Estou em uma idade que é bastante difícil jogar na seleção e minha intenção é continuar trabalhando e tentar conquistar os títulos como no Partizan e focar nesse objetivo agora no La Coruña.

 

 


Juca comemorando título pelo Partizan

 

 

BRS- Como está sua expectativa em relação a trabalhar no La Coruña?
Juca- Estou bastante tranquilo e feliz com essa oportunidade de atuar no futebol espanhol, que é diferente do futebol jogado na Sérvia, muito competitivo e de ótima qualidade e certamente é um passo a frente que estou dando em minha carreira. Quero estar bem preparado para ter o mesmo sucesso que obtive no Partizan
.


Com a camisa do La Coruña após os exames médicos

 

BRS- O último título da Liga Espanhola do La Coruña foi na temporada 99/00 e de lá pra cá só deu Real Madrid, Barcelona ou Valencia, além disso na última temporada o La Coruña terminou em sétimo colocado. Em termos de competitividade qual a sua expectativa?
Juca- É verdade, o La Coruña está há bastante tempo sem conquistar um título e minha mentalidade é sempre querer ganhar, conquistar títulos e vou para lá com essse intuito, se vou ganhar ou não é consequência, mas vou estar sempre preparado para conquistar os objetivos.

 

BRS- Além da idolatria da torcida do Partizan, você ainda ganhou um apelido: "Bombardeiro Brasileiro". Como surgiu isso?
Juca- Na verdade começou como uma brincadeira. Quando cheguei lá recebi uma camisa com a inscrição Bombardeiro Brasileiro pois eles já sabiam que eu batia bem na bola, principalmente nas cobranças de falta e o apelido pegou. Foi legal, gostei bastante.

 


Juca na apresentação ao Partizan com a camisa escrita "Bombardeiro Brasileiro"

 

BRS- Quem é seu ídolo e quem é o "cara" da tua posição no momento?
Juca- Meu ídolo é o Zico: Pela inteligência, pela finalização a gol. O Zico era diferenciado. Hoje gosto do Alex (ex-Palmeiras e Cruzeiro): do Paul Scholes, do Manchester United: do Iniesta, do Barcelona, apesar de jogar um pouco mais a frente, mas é muito inteligente. Admiro também o Frank Lampard. Gosto de jogadores competitivos, que marcam e sabem chegar na frente com qualidade.

 

BRS- Você está indo jogar no Campeonato Espanhol. Quem você prefere: Kaká ou Messi?
Juca- Essa eu deixo para você escolher, não vai fazer diferença, os dois são "problemas" (risos). Você ainda esqueceu do Cristiano Ronaldo (risos).

 

 

BRS- Em relação a sua carreira, você já pensou na aposentadoria, com quantos anos seria, o que faria depois de largar a bola?
Juca- Não comecei a pensar ainda não (risos). Procuro me cuidar bastante, prezo pela minha condição física, porque acho que os pequenos detalhes é que fazem a diferença. Quero sempre estar bem para defender meu nome, meu clube sempre nas melhores condições.

 

BRS- Deixa uma mensagem para o internauta que acompanha o blog do Roberto Silva.
Juca- Continuem acompanhando o blog do Roberto Silva, porque através dele você fica sabendo como estão os brasileiros que jogam fora do país.

 

 

 



Escrito por Roberto Silva às 12h41
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


PARABÉNS BRASIL!

 

Depois da conquista da Copa das Confederações minha preocupação é com a Copa do Mundo. Penso que o período de testes e experiências está encerrado e que só uma catástrofe tiraria o Brasil da Copa da África. Espero que a Copa das Confederações não tenha sido como o Campeonato Carioca para os clubes do Rio de Janeiro em relação ao Brasileiro, ou seja, não sirva de parâmetro para Copa do Mundo. Uma vitória, a euforia de uma conquista acaba "maquiando" defeitos e imperfeições em uma equipe. Temos alguns problemas na montagem do time principal e algumas posições seguem indefinidas em razão da não aprovação técnica dos testados para ocuparem a vaga da posição, senão vejamos (salvo problemas de lesão de última hora como tem ocorrido nas últimas Copas):

No gol, Júlio César está soberano, mas as duas outras vagas estão em aberto, apesar ainda não ter visto, às vésperas de uma Copa do Mundo, o titular  perder sua vaga, mesmo não atravessando grande fase, ou até mesmo por lesão. Arrisco Vitor, do Grêmio e Doni, da Roma, estando em forma e recuperado, por ser homem de confiança de Dunga. Gomes corre por fora. Bruno, do Flamengo, Felipe, do Corinthians e Fábio, do Cruzeiro, são nomes cogitados, mas sem força com o treinador.

Nas laterais situações distintas: Enquanto na direita estamos bem servidos com Maicon e Daniel Alves, não necessariamente nessa ordem e apesar das sombras de Leonardo Moura, Ilsinho, Rafinha e Cicinho, na esquerda ainda não foi totalmente preenchida: Kléber foi reprovado com um futebol burocrático, talvez vítima do esquema e André Santos também não reeditou as atuações feitas no Corinthians e me parece "cru" para vestir a camisa da seleção. Os outros testados anteriormente por Dunga também parecem ter sucumbido: Gilberto perdeu espaço, até em razão da idade, Juan e Richarlyson caíram de rendimento em seus clubes e até Carlinhos (ex-Santos e Cruzeiro), que fora testado por Dunga num momento de afirmação sua como treinador da seleção e do jovem atleta, sumiu sem deixar vestígio. Adriano, do Sevilla está muito bem em seu clube, mas faz algum tempo que Dunga não o convoca. Acredito que uma das vagas será de Marcelo, do Real Madrid, apesar de ter atuado nas últimas partidas do seu time fora da lateral-esquerda, o que lhe custou a não convocação para a Copa das Confederações, deve ratificar a condição de titular.

Na zaga temos muitas opções para as duas vagas restantes, já que Juan e Lúcio (inclusive capitão da equipe) estão com passaporte carimbado. Muitas foram as avaliações de Dunga nessa posição: Luisão, do Benfica, Alex, do Chelsea; Miranda, do São Paulo, Thiago Silva, do Milan, Alex Silva, Henrique (ex-Palmeiras) e Naldo, do futebol alemão e Edu Dracena, do Fenerbahce. Aposto em Thiago Silva e Luisão. 

Os volantes são os homens de confiança de Dunga, já que essa posição, ou nessa forma de jogar segundo seu esquema, ele conhece bem, pois defendeu a seleção jogando nesse setor. Apesar de divergir com alguns nomes, creio que Gilberto Silva e Felipe Melo estejam garantidos e Josué como primeira opção para a posição, restando ainda uma vaga. Mineiro perdeu espaço, assim como Dudu Cearense e Edmilson, outros convocados por Dunga anteriormente. Fernando Menegazzo acabou de ser campeão no Bordeaux da França, mas não deve pintar na seleção, assim como Renato, do Sevilla e Elias, do Corinthians. Caso não haja uma surpresa, deve sair dos testados por Dunga: Kléberson, Lucas, Anderson ou Hernanes, caso volte a ter boas atuações.

Na função de armação, muitas opções e algumas dúvidas na cabeça de Dunga: Kaká e Elano são nomes certos, apesar do segundo ter perdido espaço na Copa das Confederações com as boas atuações de Ramires. As outras vagas serão disputadas pelo próprio Ramires, por Ronaldinho Gaúcho (e por que não?) e Júlio Baptista. Alex, do Fenerbahce e Thiago Neves, Wagner, do Cruzeiro (testados por Dunga) parecem carta fora do baralho. Outros jogadores que poderíam surpreender seriam Alex, ex-Inter e testado por Dunga, ou Diego, que fez um caminho inverso ao de Alex, o que lhe dá uma vantagem: foi jogar em um país de maior expressão como a Itália. Se tiver boas atuações pela Juventus pode retornar a seleção.

O ataque também tem muitas opções, mas acho que Robinho e Luis Fabiano já estão na Copa do Mundo. Os demais jogadores estão, a meu ver em igualdades de condições: Alexandre Pato, Nilmar e Vagner Love. Devaneios cometidos por Dunga, como Jô, Afonso Alves e Amauri já foram limados definitivamente. Ricardo Oliveira está fora de cogitação, apesar de bom jogador. Nomes consagrados e com passagens marcantes também correm contra o tempo buscando espaço: Adriano Imperador, Ronaldo Fenômeno e Fred. É aguardar esses meses que restam até a Copa do Mundo e fazermos nossas apostas.

E você, o que acha?



Escrito por Roberto Silva às 11h34
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


GOLS BRASUCAS DO DOMINGO, 28/06

NORUEGA

Adriano Munoz (Adriano Afonso Thiel Munoz, catarinense de Itapiranga, 32 anos, desde 2001 no futebol do exterior, com passagens pelo futebol finlandês e norueguês), do Tromso (3x1 Aalesund)

 

 

Mota (José Roberto Rodrigues Mota Junior, atacante, 30 anos, nascido em Guarulhos-SP, ex-União Barbarense-SP, futebol português e dinamarques), do Molde (4x0 Lyn)

 

 

 

 

VIETNAM

Vanderlei Lima, 2 gols do The Cong Viettel (3x1 Nam Dinh)

 

 

 

Jackson (Jackson Nogueira, atacante, 28 anos, ex-Flamengo, Brasiliense, Boavista-RJ, Tigres do Brasil-RJ, Sendas-RJ e Macaé-RJ), do CLB TP HCM (3x2 SLNA)

 

 

 

Rogério (Rogério Machado Pereira, carioca, 31 anos, desde 2003 no Vietnam, naturalizou-se recentemente vietnamita e passou a chamar-se Roger Nguyen. De uniforme laranja na foto), do Da Nang (2x1 Quan Khu 4)

 

 

 

Kesley (atacante, naturalizado vietnamita), do Binh Duong (3x0 Hai Phong)

 

 

 

Hélio (Hélio da Silva Assis, meio-campo, ex-Matsubara-PR), do Binh Duong (3x0 Hai Phong)

 

 

 

 

JAPÃO SEGUNDA DIVISÃO

Leandro (Leandro Lessa Azevedo, meia-atacante, 28 anos, ex-Botafogo-SP, Corinthians, São Paulo, Fluminense e Goiás), do Verdy Tokyo (2x1 Avispa Fukuoka)

 

 

 

 

CHINA

Valdo (Erivaldo Antonio Saraiva, atacante, 28 anos, nascido em Cubatão-SP, jogou no São Vicente-SP, Jabaquara-SP, Palmeiras-BA, Rio Branco-SP, Juventus-SP, Pelotas-RS, Jataiense-GO, Nova Iguaçú-RJ, Atlético Sorocaba-SP, Moto Club-MA, Luziânia-GO, Gama-DF e Hamman-Tunísia), do Zhejiang (2x0 Shangai Shenhua)

 

 

 

 

 

 

CORÉIA DO SUL

Almir (Almir Lopes de Luna, meio-campo, 27 anos, ex-Botafogo-RJ e Atlético-MG), 2 gols do Ulsan Hyundai (3x2 Suwon Samsung)

 

 

 

 

EQUADOR

Fábio Renato (Fábio Renato de Azevedo Lima, meia-atacante, amazonense, 28 anos, ex-Cacoalense-RO, Porto Velho-RO, CFA-RO e Vilhena-RO), do Deportivo Espoli (1x0 Barcelona de Guayaquil)

 

 

 

 

PERÚ

Sérgio Junior, 2 gols do Cienciano (5x5 Sporting Cristal)

Veja os gols do jogo:



Escrito por Roberto Silva às 18h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Categorias
Todas as mensagens ENTREVISTAS



Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Perfil Roberto Silva no Facebook
 PÁGINA DO BLOG DO ROBERTO SILVA NO FACEBOOK
 Rádio Tropical 830 AM RJ
 Comunidade Blog do Roberto Silva no Orkut
 Além do Jogo
 Futebol Catarinense
 Moreirense FC