Blog do Roberto Silva


GOLS DOS BRASILEIROS PELO MUNDO NA SEMANA- SEGUNDA A SEXTA 13 A 17/07

SEGUNDA-FEIRA, 13/07

AMISTOSO INTERNACIONAL

Dudu Cearense, do Olympiakos-Grécia (3x0 Zwolle-Holanda)

 

 

 

Diogo, do Olympiakos-Grécia (3x0 Zwolle-Holanda)

 

 

 

SUÉCIA

Daniel Bamberg, do Norrkoping (5x1 Falkenberg)

 

 

 

 

TERÇA-FEIRA, 14/07

LIGA DOS CAMPEÕES DA EUROPA

William Batista (William Rocha Batista, atacante, 29 anos, ex-Portuguesa Santista-SP, Barbarense-SP, futebol ucraniano, búlgaro e tcheco), do FK Baku-Azerbaijão (2x2 Ekranas-Lituânia)

 

 

 

Felipe Félix (Felipe Almeida Félix, atacante, 24 anos, ex-Criciúma-SC, Atlético-PR, futebol português e russo), do FK Baku-Azerbaijão (2x2 Ekranas-Lituânia)

 

 

 

Cléo, do Partizan-Sérvia (4x0 Rhyl-País de Gales)

 

 

 

 

QUARTA-FEIRA, 15/07

AMISTOSO INTERNACIONAL

Dudu Cearense, 3 gols do Olympiakos-Grécia (3x0 Sivasspor-Turquia)

 

 

 

Wesley, do Vaslui-Romênia (2x2 Alemannia Aachen-Alemanha)

 

 

 

LIGA DOS CAMPEÕES DA EUROPA

Ailton Almeida, do Copenhaguen-Dinamarca (6x0 Mogren-Montenegro)

 

 

 

JAPÃO

Edmilson, do Urawa Red (2x1 Shimizu S-Pulse)

 

 

 

 

QUINTA-FEIRA, 16/07

AMISTOSO INTERNACIONAL

Taddei, da Roma-Italia (2x2 Blackburn Rovers-Inglaterra)

 

 

 

COPA DA UEFA

Daniel Rossi, do Sigma Olomouc-República Tcheca (1x1 Fram-Islândia)

 

 

 

SUÉCIA

Paulinho, do Hacken (2x0 Hammarby)

 

 

 

SUÉCIA SEGUNDA DIVISÃO

Tiago Pereira, do Assyriska (2x0 Vasby United)

 

 

MÉXICO

Itamar (Itamar Batista da Silva, atacante, ex-São Paulo, Palmeiras, futebol coreano), do Tigres (3x2 Santos Laguna)

 

 

 

 

SEXTA-FEIRA, 17/07

AMISTOSO INTERNACIONAL

Cícero, do Hertha Berlin-Alemanha (2x1 Bursaspor-Turquia)

 

 

 

EQUADOR

Fábio Renato, do Espoli (2x1 Tecnico Universitário)

 

 

 

ÁUSTRIA SEGUNDA DIVISÃO

Fabiano, do Wacker Tirol (2x0 Hartberg)



Escrito por Roberto Silva às 08h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


ENTREVISTA

ROGÉRIO RAMOS, TREINADOR DE GOLEIROS DA SELEÇÃO DO SUDÃO

Nosso convidado para o bate-papo é Rogério Ramostreinador de goleiros da Seleção do Sudão. Rogério tem 35 anos, é gaúcho, foi goleiro profissional entre 1993 e 2005, tendo atuado em diversas equipes e encerrado a carreira de jogador no Vasco de Goa, na India, onde iniciou a carreira de treinador de goleiros (entre 2000 e 2005, desempenhou as duas funções no Vasco Club Goa-India). Desde o início do ano, Rogério Ramos tem a dificil missão de comandar os goleiros sudaneses nas eliminatórias africanas para Copa do Mundo de 2010. O Sudão é o maior país africano e vive em guerra civil há mais de 40 anos.

FICHA

Nome: ROGÉRIO RAMOS DAL SOLIO

Data e Local de Nascimento: Tapejara-RS, em 26/11/1973

Clubes como jogador (goleiro): Xanxerense-SC (93), Naviraiense-MS (94), Xanxerense-SC (94), Tangará-MT (95), Alto Vale-SC (96), Mixto Bordô-PR (97), Hermann Haichinger-SC (99), CENE-MS (2000) e Vasco Club-Goa- India (2000 a 2005)

Como preparador de goleiros: Vasco Club-Goa-India (2000 a 2005), Seleção da India (2002 a 2005), Passo Fundo-RS (2005), KSMC-Coréia do Sul (2005-2006), São Carlos-SP (2006), Juventus-SC (2007), Mahindra United-India (2007-2008) e Seleção do Sudão (2009)

 

Vídeo com momentos da carreira de Rogério Ramos

 

BRS- Como surgiu essa oportunidade de trabalhar na seleção do Sudão e o que te motivou a aceitar a proposta?
Rogério- O convite foi feito pelo treinador Stephen Constantine, o mesmo que tive quando trabalhei com a seleção da India. Na época eu ainda jogava pelo clube, mas foi uma experiência muito boa, já que tinha planos de quando encerrasse a carreira, passar para a área técnica como preparador e desde aquela época mantivemos contato e agora surgiu a chance de trabalharmos juntos novamente e deu certo.

 

BRS- Você conhece bem o técnico da seleção sudanesa, o inglês Stephen Constantine, com quem inclusive já trabalhou na seleção da India. Como funciona essa sintonia: Você tem peso nas convocações e na escalação do goleiro nos jogos?
Rogério- Se não tivesse essa autoridade e autonomia não estaríamos trabalhando juntos. Nos entendemos por gostarmos de trabalhar duro e respeitamos um ao outro dentro das responsabilidades pelas quais respondemos. Acredito que confiança é o nome que damos ao trabalho um do outro.

 

BRS- Qual a principal dificuldade dos goleiros sudaneses, em que fundamento precisam aprimorar e quais as maiores virtudes?
Rogério- No Sudão, como na maioria dos países sem muita tradição no futebol falta muita base, ou seja, ter feito o trabalho correto ainda no infantil ou juvenil, o que capacita o atleta a chegar ao profissional com uma maior capacidade técnica e psicológica principalmente, já que fisicamente o africano já possui um biotipo coerente para o esporte. Em resumo: os goleiros sudaneses tem grandes deficiências técnicas, como tempo de bola, pegada, tomada de decisões rápidas e acertadas... A maior virtude certamente é o potencial físico e estatura apropriada.

 

 


Rogério Ramos e os goleiros sudaneses

 

BRS- Quais as principais diferenças técnicas entre os goleiros sudaneses e indianos?
Rogério- Se comparados aos goleiros brasileiros, ambos possuem grandes problemas com o fator técnico-psicológico, como diríamos no Brasil, eles são fracos, o que abre campo para meu trabalho e isso é bom para mim. Entre indianos e sudaneses podemos ver a grande diferença física, que realmente é o maior diferencial entre eles.

 

BRS- Além do forte calor sudanês, algum outro fator externo interfere de forma significativa em seu trabalho?
Rogério- Tudo que envolve uma seleção está relacionada diretamente com a situação do país que ela representa. Falar da seleção do Sudão e não relacionar esses aspectos seria incoerência, mas vale ressaltar que os políticos sudaneses envolvidos com o atual regime de governo não são bem vistos pelos atletas e pessoas ligadas ao esporte em geral. O povo sudanês tão necessitado e carente, vê no futebol um grande motivo de alegria e trata os atletas como verdadeiros heróis nos clubes onde eles atuam e quando os mesmos atletas estão com a seleção, por incrível que pareça, a torcida se divide, torcendo pelos jogadores do seu clube, criando uma situação engraçada.

 

BRS- O Sudão está praticamente alijado da chance de conquistar uma vaga africana nas eliminatórias para Copa 2010, embora matematicamente ainda haja possibilidade (Sudão tem 1 ponto e o líder Gana, o próximo adversário em 05/09, tem 9 pontos). Como estimular os jogadores para os três jogos restantes nas eliminatórias?
Rogério-  Pelo simples fato de ser eliminatórias não acredito que seja necessário nenhum tipo de motivação especial. Os jogadores sabem de suas condições e também da chance deles de estarem envolvidos nessa competição, então serão outros três jogos em que certamente darão o melhor de cada um, mesmo que não vençamos os jogos.

 


Rogério em um workshop para goleiros sudaneses

 

BRS- Nos países onde você trabalhou, em qual deles a assimilação dos conhecimentos foi mais difícil pelos seus comandados?
Rogério- Isso varia conforme a pessoa. Todo ser humano tem condições de aprender, uns mais, outros menos é verdade, por isso o mesmo trabalho dirigido a diferentes atletas pode surtir diferentes resultados. No geral sempre tem quem assimila rápido e quem demora um pouco mais, mesmo no Brasil. Eu diria que depende da individualidade de cada um.

 

BRS- De um modo geral, nos anos 70/80, os goleiros tinham estatura mediana comparando-se com os padrões atuais. A que você atribui esse "aumento" da estatura do goleiro brasileiro com o passar dos anos?
Rogério- A simples necessidade natural de ter alguém suficientemente alto debaixo do gol, ou seja, o Brasil, como já acontecia em outros países, principalmente os europeus, passou a prestar mais atenção na posição e a procurar atletas que tenham, não só talento, como também altura, o que acabou por colocar o goleiro brasileiro dentro do mercado internacional de transferências, coisa pouco vista no passado e que a cada dia tem aumentado consideravelmente. Seria a evolução natural da posição, cada vez mais alto e melhor tecnicamente, com grande personalidade, o goleiro ideal.

 

BRS- A que você atribui a "exportação" de goleiros brasileiros, principalmente para a Europa, de uns anos para cá?
Rogério- Isso se dá devido ao alto nível do trabalho de goleiros no Brasil e a grande capacidade do atleta brasileiros em se impor em relação ao futebol. O que antes era bem visto nos atletas de frente e meio-campo, agora também se aplica aos goleiros, a qualificação dos preparadores e uma maior atenção dos clubes e responsáveis em descobrir talentos na posição em idade de serem trabalhados e preparados para o mais alto nível, a tendência é de que ainda mais goleiros venham a ter a chance de jogar fora do pais, como se dá com atacantes e meias. Tenho experiência em ver e acompanhar o trabalho de goleiros em muitos países diferentes e posso afirmar que não vi outro pais onde os goleiros trabalhem tão bem como no Brasil, mesmo países europeus, mais ainda lutamos por atletas com uma maior capacidade psicológica e sangue frio, porque este fator é muito forte em goleiros de origem européia.

 

 


Rogério na época em que treinava os goleiros da seleção da India

 

BRS- Qual o melhor goleiro do mundo atualmente na sua opinião?
Rogério- Não tenho um nome em particular. Vários bons goleiros podem ser assistidos atuando hoje no futebol mundial.

 

BRS- Quem foi seu ídolo na posição?
Rogério- Taffarel foi um nome que gerou um ótimo exemplo para mim como goleiro. Já como preparador aprendi um pouco com todos os profisionais com os quais trabalhei e hoje procuro fazer meu trabalho sempre criando algo novo e nunca copiando nada.

 

BRS- Que sonho você alimenta dentro da profissão?
Rogério- Eu realmente quero chegar a trabalhar em um país onde a estrutura do futebol seja de alto nível, onde possa fazer um trabalho a longo prazo e que me dê possibilidades de proporcionar a minha família um ambiente adequado.

 

 


Rogério em passeio pelo Sudão

 

BRS- Para descontrair: Ser goleiro é um dom, uma loucura, ou um jogador de linha frustrado?
Rogério- Simplesmente um louco com um dom muito especial. Acredito que nenhum jogador de linha frustrado possa a ser goleiro, em hipótese alguma.

 

BRS- Para finalizar: Você está feliz com seu trabalho?
Rogério- Faço meu melhor não importando onde esteja, sempre fui feliz com meu trabalho, mas sei que a felicidade está relacionada com outras áreas da nossa vida e dessa forma coloco aqui com sinceridade: A dificuldade que temos em passar um ano no Sudão, realmente não é o melhor lugar para estar com a a família, mas também acredito que Deus tenha planos em nossas vidas e vamos descobrir isso com o passar do tempo.



Escrito por Roberto Silva às 21h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


GOLS DOS BRASILEIROS NO EXTERIOR NESTE DOMINGO (12/07)

RÚSSIA

Leandro (Leandro da Silva, meio-campo, 24 anos, nascido em Itumbiara-GO. Jogou no XV de Novembro, Pogon-Polônia, Kaposvar-Hungria, Luch-Energiya Vladvostok-Rússia), do Spartak Nalchik (2x2 Kuban)

 

 

 

JAPÃO

Caboré, do FC Tokyo (3x0 Nagoya Grampus)

 

 

 

Edmilson (Edmilson Alves, meio-campo, 33 anos, ex-Juventus-SP, União Suzano-SP, Londrina-PR, Ceará, Ubiratan-MS, Fortaleza e Ulsan Hyudai-Coréia), do Oita Trinita (1x3 Jubilo Iwata)

 

 

 

JAPÃO SEGUNDA DIVISÃO

Adiel, do Shonan Bellmare (4x3 Cerezo Osaka)

 

 

Daniel Tijolo (Daniel Silva dos Santos, 27 anos, nascido em Rio das Ostras-RJ, volante, ex-Goytacaz-RJ, Cabofriense-RJ, Cruzeiro-MG, Mixto-MT, Paysandu, Ituano-SP e São Caetano), do Ventforet Kofu (2x1 Kusatsu)

 

 

 

Tozim, 2 gols do Sagan Tosu (3x0 Okayama)

 

 

 

VIETNAM

Agostinho (Agostinho Petrolino de Oliveira Filho, atacante, 31 anos, ex-Olaria-RJ, Náuitico-PE, Potiguar-RN e Pirambú-SE), 2 gols do T&T Hanoi (5x2 Dong Thap)

 

 

 

Bidú, 2 gols do Hai Phong (4x2 Thanh Hoa)

 

 

 

Leandro Luz (Leandro Oliveira Luz, lateral e meia-esquerda, ex-Seleção Brasileira sub-23, Santos, Ponte Preta, Cabofriense-RJ, Brasiliense e Paysandú. Nasceu em Candido Mota-SP e tem 26 anos) do Hai Phong (4x2 Than Hoa)

 

 

 

Raphael Steve, do Da Nang (4x0 DT. Long An)

 

 

 

Neném (Evaldo Rodrigues Gonçalves, atacante, 28 anos, ex-Caldense-MG, Bandeirante-PR e América-RJ), do Hoang Anh Gia Lai (1x1 Quan Khu 4)

 

 

 

Mota, do Quan Khu 4 (1x1 Hoang Anh Gia Lai)

 

 

 

BAHREIN

Rico, do Al-Murrahaq (2x0 Al-Rifa)



Escrito por Roberto Silva às 22h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


GOLS BRASILEIROS NO EXTERIOR DESTE SÁBADO (11/07)

RÚSSIA

Welliton, do Spartak Moscou (1x0 Rostov)

 

 

 

FINLÂNDIA SEGUNDA DIVISÃO

William de Mattia (lateral e volante, 26 anos, natural de Criciúma-SC. Jogou no Figueirense-SC, Santa Cruz-PE, Marcílio Dias-SC e Xhanti e Kastoria-Grécia), do Porin Palloilijat (4x0 Kemi)

 

 

 

JAPÃO

Marquinhos Cambalhota, do Kashima Antlers (2x0 Omiya Ardija)

 

 

 

Márcio Richardes, do Niigata (2x2 Kawasaki Frontale)

 

 

 

Juninho, do Kawasaki Frontale (2x2 Niigata)

 

 

Edmilson, 2 gols do Urawa Red (2x1 Sanfrecce Hiroshima)

 

 

 

CORÉIA DO SUL

Ricardinho, do Jeju United (1x1 Chunam Dragons)

 

 

 

Denilson, do Pohang Steelers (2x1 Gwangju Sangmu)

 

 

 

COLÔMBIA

Baiano (Dermival Almeida Lima, lateral-direito, baiano de Capim Grosso, 31 anos. Jogou no Santos, Atlético-MG, Palmeiras, Matonense-SP, Vitória-BA, Vasco, Náutico-PE, Fortaleza-CE, Las Palmas-Espanha, Rubin Kazan-Rússia e Boca Juniors-Argentina), do Atlético Nacional (1x1 La Equidad)

 



Escrito por Roberto Silva às 00h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Categorias
Todas as mensagens ENTREVISTAS



Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Perfil Roberto Silva no Facebook
 PÁGINA DO BLOG DO ROBERTO SILVA NO FACEBOOK
 Rádio Tropical 830 AM RJ
 Comunidade Blog do Roberto Silva no Orkut
 Além do Jogo
 Futebol Catarinense
 Moreirense FC